Sem Travas

Óbvio científico


Cientistas constatam atividades cerebrais 10 minutos após a morte. Faltou dizer a eles que já na Idade Média só se enterrava o falecido uma hora após a morte. E por quê? Justamente porque havia necessidade da convicção de que o corpo já estava despido da alma. Uma das tradições fúnebres da Ilha de SC é velar o falecido por mais de uma hora. E no final os tradicionalistas se aproximam do caixão e apertam as pálpebras do defunto para confirmar a sua morte.

  • JÁ SABÍAMOS

EM O GLOBO DE HOJE: Exclusivo: Bancada da bala faz nova investida contra estatuto. Por Jailton de Carvalho. Parlamentares querem aprovar projeto que retira exigências para compra de armas; presidente da Câmara silencia..

Já dissemos isso no começo da semana. Não é novidade. Mas o risco de o estatuto do desarmamento desabar é muito grande.

Não se iludam, na bancada catarinense há muitos votos a favor do rearmamento, a começar pelo deputado Peninha, autor do projeto.

  • RESPIRO DE LIBERDADE

No primeiro fim de semana com um mínimo de turistas, o florianopolitano volta a usufruir de suas praias sem congestionamentos, vendedores de muambas, cachorros, etc.etc. E o pescador, com certeza, respira firme com a liberdade de pôr seus barcos e baleeiras no mar sem dificuldades.

Mas, tudo isso seria possível viver o ano inteiro com turistas, desde que a cidade se organizasse, estruturando melhor e decentemente o seu movimento turístico.

  • INCONVENIÊNCIA

Ainda há gente criticando o governador Raimundo Colombo pela reforma da ponte Hercílio Luz. Só pode ser um oposicionista político. Vamos cair na realidade: a ponte ficou abandonada por mais de 30 anos e agora que finalmente está sendo recuperada, criticam o desempenho do governo.

A liberdade de expressão é necessária e importante, mas há gente indo muito além.

  • O VÍCIO ELEITOREIRO

Impressionante que se passaram três meses da posse dos novos prefeitos e a maioria dos gestores municipais já está envolvida em estratégias paras as eleições estaduais de 2018. É por isso que as cidades ficam impedidas de acreditar e enxergar soluções para os seus problemas sociais e estruturais.

O governador em exercício Eduardo Moreira vai a Joinville tentar convencer o prefeito Udo Döhler a ser candidato ao governo, e a Blumenau para motivar o prefeito Napoleão Bernardes a ser vice. Em Florianópolis, Eduardo procura investir em projetos do prefeito do seu partido, Gean Loureiro, acreditando na repercussão eleitoral. Enquanto isso, o partido do governador Raimundo Colombo, o PSD, energiza a campanha do seu candidato ao governo Gelso Meriso.

E o pior: a máquina administrativa fica refém desses movimentos.

  • AUSENTE

Impressionante como o senador Cristóvam Buarque, do PPS, apagou-se no cenário político nacional. Estaria se omitindo em relação ao atual governo ou perdeu a vontade de ser político?

  • BASTA ACREDITAR

Se o PSD investisse na credibilidade alcançada pelo secretário Eduardo Deschamps em nível de educação nacional, com certeza teria, no mínimo, um bom candidato a prefeito de Blumenau. Eduardo preside o Conselho Nacional de Educação, além de exercer fortes influências entre as lideranças educacionais brasileiras.

  • CAIXA FORTE

A Caixa Econômica Federal está se consagrando com a mídia espontânea, em função da liberação do FGTS. Só não se sabe se isso é uma retribuição espontânea da mídia pelo milionário investimento da CEF em publicidade.



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email