Roberto Azevedo

Reunião com a Defesa Civil Nacional fica no quase


CRISTIANO ANDUJAR/PMF

Foi a maior concentração de pré-candidatos ao governo e à eleição majoritária, leia-se vice e Senado, mais os pré-postulantes à Assembleia, que Santa Catarina acompanhou nos últimos meses, dada a pluralidade de partidos, mas o objetivo era mesmo mostrar ao secretário nacional da Defesa Civil, o coronel PM catarinense Newton Ramlow, a necessidade de pelo menos mais R$ 20 milhões. Ramlow pediu um levantamento em forma de relatório e não acenou com recursos imediatamente, antes de seguir com Gean e uma comitiva para ver in loco os estragos de três dias de chuvas torrenciais na Capital, o município mais atingido do Estado.

À mesa estavam o vice-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que assume o governo no mês que vem, os senadores Paulo Bauer (PSDB) e Dário Berger (MDB) - que foi prefeito de Florianópolis e é padrinho na indicação de Ramlow -, os deputados federais Jorginho Mello (PR) e João Paulo Kleinübing (PSD), além do vice-prefeito João Batista Nunes (PSDB), o presidente da Casan Valter Gallina (MDB) e, mais ao fundo, os secretários municiais e o presidente da Câmara de Vereadores, Gui Pereira (ainda no PR). Não há como avaliar o assunto apenas do ponto de vista administrativo, já que a vitrine política era expressiva, porém vale a força de quem tem mandato para ajudar na recuperação do que foi destruído.

 

Com a palavra

O deputado federal Jorginho Mello, presidente estadual do PR, usou a palavra no encontro na prefeitura e tocou o dedo na ferida. Elogiou a resposta rápida do prefeito Gean Loureiro e equipe, e ponderou que os parlamentares federais presentes terão, a partir de agora, o trabalho de agilizar os recursos em Brasília, senão vira uma papelada burocrática sem tamanho e o recurso que é bom demora.   

 

O personagem 1

O coronel Newton Ramlow, hoje na Defesa Civil Nacional, pelas mãos da dupla Dário Berger e Mauro Mariani, já ficou famoso por fazer política dentro de um quartel. Em 2009, quando era comandante do 4° BPM, na Capital, o então tenente-coronel pediu voto a Dário, que supostamente concorreria ao governo do Estado, no ano seguinte, depois de reeleito prefeito de Florianópolis, e falava aos praças e oficiais que seria o comandante-geral da corporação caso o hoje senador fosse eleito.

 

O personagem 2

Newton Ramlow foi gravado e a transcrição da conversa apresentada, à tribuna da Assembleia, pelo então deputado Sargento Amauri Soares (PDT depois PSOL), após a Aprasc não conseguir protocolar a denúncia no comando-geral. Nos trechos apresentados, o oficial da PM declarou: “Não sou PMDB e não sou 15, eu sou Dário Berger. Mas hoje eu estou pedindo votos para Dário Berger aos senhores”. Em outro trecho: “Como é que eu vou reivindicar aumento salarial com um governador que eu nunca falei com ele? 'Ah, não vou dar!' Então eu vou parar a tropa (...) Eu paro a tropa!”.

 

SIMONE SARTORI/GVG

NUM CANTINHO

Ao final da reunião na prefeitura de Florianópolis, Eduardo Pinho Moreira chamou Jorginho Mello para uma conversa em particular. O assunto era o apoio do PR na nova administração que se instala em um mês e o apoio na Assembleia, sem tocar em nomes para compor o secretariado. Jorginho deu o ok e lembrou que tem uma aproximação muito grande com Moreira, embora a sigla tenha desembarcado da administração Raimundo Colombo.

 

No ar

Em entrevista ao vivo, na RIC TV, Gean Loureiro garantiu novo espaço no Balanço Geral. Afirmou que recebeu a garantia dos governo estadual e federal do que for preciso para recuperar a cidade. Reforçou a parceria da prefeitura com a Celesc, a Casan, a Polícia Militar, o Bombeiro Militar e a Defesa Civil Estadual. Ninguém faz nada sozinho.

 

Rumoroso

No segundo vídeo produzido por João Rodrigues (PSD), o comunicador e deputado federal usa toda a sua habilidade nas duas áreas para apresentar as obras que realizou como prefeito de Chapecó e sugere pode fazer pelo Estado, já que se coloca como pré-candidato ao governo pelo partido. Mas a nova fornada tem um toque muito direcionado ao deputado Gelson Merisio, também pré-candidato à sucessão de Raimundo Colombo. Duas citações ao ex-governador Luiz Henrique (PMDB), que João chama de “querido e eterno ex-governador” pela ajuda em obras na cidade. Ganhou pontos valiosos junto aos emedebistas.



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email