Roberto Azevedo

Prefeito decreta situação de emergência em Florianópolis




FABIANO LINHARES/PMF

O prefeito Gean Loureiro (MDB) decretou situação de emergência em Florianópolis, depois de três dias de chuva constante. De acordo com a Defesa Civil, em alguns pontos choveu 400 milímetros, o dobro do histórico pluviométrico no mês de janeiro inteiro. Alagamentos, árvores caídas, rodovias parcialmente bloqueadas e o risco de escorregamento, desizamento e desmoronamentos nos morros, levaram à decisão do prefeito.

Nesta sexta-feira (12), o secretário nacional de Defesa Civil, o coronel Milton Ramlow, que é catarinense, chega a Capital para debater medidas com o apoio do governo do federal. O decreto, já publicado no Diário Oficial, facilita a liberação de recursos emergenciais e com a dispensa de licitação, tanto do governo do Estado quanto da União. Um homem morreu e outro está desaparecido. Com o grande número de turistas em Florianópolis, o trânsito virou um outro problema, com vias congestionadas nas proximidades de hipermercados e shoppings.

No último boletim da prefeitura consta:

"A linha Lagoa/Barra da Lagoa foi interrompida(veja o vídeo) hoje (11) por conta de uma queda de barreira na SC-406, que liga os dois bairros. Com isso os ônibus estão saindo em frente ao posto de combustível no canal da Barra da Lagoa e seguem pelo Rio Vermelho até o Tican, em Canasvieiras. 

 
Em Ratones, devido a queda de uma ponte, o transporte vai até o local do incidedente e retorna.
 
O transporte público está parcialmente interrompido no Morro do Quilombo, por causa de deslizamento de terra. No bairro Monte Verde o mesmo problema também está afetando o deslocamento dos ônibus. Na Vargem Grande a linha vai até o Campo do Lili.
 
O transporte lacustre está suspenso. O motivo é que todos os trapiches na Lagoa da Conceição e Barra da Lagoa estão cobertos pela água.  As atividades só vão ser retomadas quando o nível da água voltar ao normal."
 
 
JORNAL DO CAMPECHE
 


Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email