Roberto Azevedo

Fogo amigo atinge a reforma da Previdência


Michel Temer e Mauro Mariani, um dos muitos que criticam a reforma da Previdência. CAROLINA ANTUNES/PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Não somente a ausência de informações consistentes que rebatam as críticas da oposição sobre perda de direitos assombram o Palácio do Planalto quando o assunto é a reforma da Previdência. Boa parte da base aliada no Congresso, inclusive parlamentares catarinenses, sinaliza que está contrariada com alguns pontos ou com o todo da PEC em análise na Câmara, uma dor de cabeça a mais para o presidente Michel Temer.

O deputado Mauro Mariani, do mesmo partido de Temer, o PMDB, tem, por reiteradas vezes, dito aos quatro ventos que não aprova a maneira como foram apresentados alguns pontos como os 65 anos de idade mínima para homens e mulheres ou os 49 anos de contribuição para alcançar o teto do benefício na aposentadoria. Detentor de vários indicados para cargos federais, Mariani, pré-candidato ao governo no ano que vem, é a prova de que os parlamentares entraram no modo “clamor popular”, sem que também expliquem aos seus eleitores que a situação é tão grave que, no futuro próximo, não adiantará ter direitos ou aposentadorias especiais, pois o governo não terá recursos para pagar pensões e aposentadorias.

 

Mais dois

Também da base de apoio de Temer na Câmara, os tucanos Geovânia de Sá e Marco Tebaldi reagiram em forma de atitudes para demonstrar a contrariedade à medida. Tebaldi protocolou um pedido e o fez ao presidente da Câmara para que Rodrigo Maia (DEM-RJ) retirasse a matéria da pauta, enquanto Geovânia propôs emenda pela manutenção das aposentadorias especiais. O que há no caso da reforma previdenciária é um excesso de passionalidade e de inflexibilidade: nem trabalhadores, principalmente os servidores públicos que têm aposentadorias muito maiores, estão dispostos a tratar do assunto como um grande problema nem o governo federal acena com valores mais generosos, ao menos, na chamada fase do pedágio para quem tem mais tempo de serviço.

 

O julgamento

A sequência dos acontecimentos dirá se os deputados, primeiros a votar a reforma da Previdência, jogam para a torcida com suas declarações que  negam uma das reformas mais essenciais para que o sistema previdenciário, de caráter solidário, sobreviva ou na hora “H” assumirão a condição de legisladores responsáveis. E a coluna volta a questionar: quem explica o desequilíbrio provocado entre o crescimento pífio do número de contribuintes do INSS e o aumento do número de idosos no país, cerne do motivo de quem está na ativa deve contribuir mais tempo, pois os efeitos do aumento da expectativa de vida empurrará a previdência para o buraco pelo modelo atual, a típica situação em que uma grande notícia virou um problema sem tamanho.  

 

ISRAEL BOSCHETTI/ELETROSUL

EGGERS ASSUME A ELETROSUL

Economista e funcionário de carreira da Celesc, o ex-diretor Administrativo da Eletrosul Gilberto Odilon Eggers foi eleito presidente da maior estatal federal do Sul do país, uma indicação do deputado federal Mauro Mariani (PMDB). Eggers está na Eletrosul desde setembro do ano passado e substitui o engenheiro Márcio Zimmermann, funcionário de carreira da Eletrobras, que comandava a empresa desde o  governo Dilma Rousseff e se manteve em boa parte do governo Michel Temer. Laércio Faria, à direita na foto, assumiu interinamente a Diretoria Administrativa da estatal.

 

Agora decola!

Dois pontos que dão a garantia de que a obra de ampliação e melhoria do Aeroporto Hercílio Luz, que finalmente deve ter condições de ser chamado internacional, ocorrerá nos próximos dois anos e durante os 30 anos de concessão: a empresa vencedora do leilão, a suíça Zürich Airport, tem experiência na gestão de estruturas muito maiores na Europa e também no Aeroporto de Cofins, em Minas Gerais; e a Infraero não participou do processo de privatização, como ocorreu em privatizações anteriores, ou seja, sem uma sombra estatal para atrapalhar a operação, e mais ainda pela desistência de consórcios nacionais com empresas enroladas na Operação Lava Jato.

 

Entusiasta

A Fiesc, que historicamente defende o formato de concessão para setores da infraestrura administrados pela União, está otimista com o resultado leilão e não só pelo resultado financeiro. Pois se houve disputa entre dois consórcios, o que elevou o lance mínimo de R$ 52,7 milhões para o resultado final de R$ 83 milhões, notoriamente fica o sentimento de “agora vai” ou agora decola. Falta um investimento de quase R$ 1 bilhão para por tudo nos seus devidos lugares, uma assinatura em julho e a passagem para os novos operadores em janeiro do ano que vem.

 

Comemorou

O deputado federal Jorginho Mello (PR), que está no Japão, ligou para o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, para agradecer pela inclusão do Aeroporto Hercílio Luz no pacote de concessões. Relembrou que, no último dia  1º de março, o deputado, que havia visitado o acanhado terminal do Hercílio Luz com o ministro em janeiro, informou que o aeroporto de Florianópolis estaria incluído no leilão depois de uma reunião com Quintella.

 

Será que era no Brasil

Uma quinta-feira onde o governo federal saiu vitorioso no leilão para a iniciativa privada dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e Florianópolis e anunciou o crescimento da criação de 35,6 mil empregos com carteira assinada, em fevereiro, foi um mar de boas notícias em meio às listas de Rodrigo Janot.  Falta confirmar a tendência nos próximos meses, enquanto Michel Temer e equipe comemoram por enquanto.

 

ELIANE RAMOS/DIVULGAÇÃO

PROJETO INTERESSANTE

A Comissão de Transportes da Assembleia, presidida pelo deputado Patrício Destro (PSB), que assumiu o cargo nesta quinta, analisa um projeto de lei que vai dar o que falar sobre fraudes. A proposta prevê a cassação da inscrição no cadastro de contribuintes do Estado para quem comercializar produtos provenientes de carga roubada, mesmo que não fique caracterizada a receptação, além de proibir os envolvidos de entrarem com pedido de inscrição de nova empresa no mesmo ramo de atividade e do comerciante arcar com multa correspondente ao dobro do valor dos produtos encontrados no estabelecimento. 

 

RÁPIDAS

 

* Presidente da Câmara prorrogou, até esta sexta, o prazo para apresentação de emendas à reforma da Previdência a pedido da bancada do PSB. No prazo anterior, que venceu na última terça, 146 emendas foram registradas.

 

* Presidente da Comissão Finanças da Assembleia, o deputado Marcos Vieira (PSDB) declarou aos no Congresso Estadual da União dos Vereadores de Santa Catarina, em Florianópolis, o Orçamento Regionalizado Impositivo será votado no mês de abril.

 

* Ex-prefeito de Porto Alegre e governador  do Rio Grande do Sul, o petista Olívio Dutra estará em evento da Escola Sul da CUT, em Florianópolis, no próximo dia 21, às 8h30min, para falar sobre o Orçamento Participativo como importante instrumento de controle e participação popular.

 

* Operação F7: empresa de software que desenvolve produto para que comerciantes e empresas soneguem impostos é organização a serviço do crime organizado. Merece punição exemplar, de caráter pedagógico.



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email