Multimídia

Agora é Jornal Nacional X Internet. Por Claiton Selistre


Depois de fustigar meses a fio o presidente Temer para tirá-lo do poder sem sucesso, o Jornal Nacional armou as baterias nas duas últimas noites para atirar contra a internet. Começou citando uma pesquisa da britânica Kantar, que nada mais é do que a mais nova dona do Ibope, que lhe vende pesquisas de audiência de TV e rádio, entre outras.

Diz a pesquisa da Kantar, ouvidos 2 mil brasileiros, que a credibilidade dos veículos tradicionais está em 77% e da internet 33%. Uma outra leitura desses números poderia ser esta: ninguém confia 100% na mídia tradicional, enquanto a internet, como instrumento mais jovem, já tem 33% de credibilidade. E vai aumentar, pois os proprietários das redes sociais estão neste momento discutindo no congresso americano mais instrumentos para monitorar os malucos que lhe acessam.

Um outro dado significativo: seis famílias são donas de 70% das empresas brasileiras da comunicação brasileira e obviamente da opinião expressa em editoriais. Na internet, há bilhões de "donos", a maioria individuais. Agora já tem uma força brutal, quando organizados!

É provável que seja tão difícil disciplinar e identificar as fake news quanto na mídia tradicional saber as notícias que interessam mais aos donos do que aos usuários.  Ultimamente percebe-se conteúdos vinculados a marketing e divulgação de eventos patrocinados pela grande mídia. Isto é, estamos ilhados por informações a conferir em todos os lados.

Steve Correl, professor da Universidade de Columbia, NYC, disse em entrevista recente que "o maior desafio do jornalismo não é encontrar um modelo viável de financiamento na era da internet, mas sim resistir aos ataques cada vez mais raivosos dos governos populistas contra a imprensa e à proliferação das fake news". Acrescento, então, neutralizar os ataques da mídia tradicional à internet, com suas próprias fake news.

*Claiton Selistre é jornalista.



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email