Cine&Séries

Rir, tanguear, beijar




ESPECIAL

O TANGO NAS TELAS (1ª parte )

Mais que um simples ritmo ou dança, o tango é uma cultura. Sua essência é a paixão e, talvez por isso, o casamento com o Cinema tenha dado tão certo. Ambos nasceram no final do século XIX e já em 1921, lá estava o mítico Rodolfo Valentino dançando tango em "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse", depois de tirar o rival da pista com uma paulada na cabeça! De lá pra cá, criou-se tantas cenas memoráveis utilizando a música argentina que foi difícil escolher apenas algumas. Mas vamos lá...

De  Sean Connery ( suspiro...)em 007-Nunca Diga Jamais (1983) , dançando com Kim Basinger, passando pelo apaixonado casal de "A Família Adams" ( Raul Julia e Anjelica Huston), muita gente boa deu seus passinhos na tela. Alguns bem mais jeitosos que outros. Às vezes o coreógrafo misturou com flamenco, salsa etc... para horror dos puristas.

Talvez a sequência mais famosa entre todas seja Al Pacino e Gabriele Anwar bailando ao som de "Por uma cabeza" em "Perfume de Mulher" (foto). Aliás, pelas minhas contas "Por uma Cabeza" é o tango mais usado em filmes. Colin Firth  - meio durinho, mas elegante (veja o gif) - em " Bons Costumes" ( 2008) até o brutamontes Arnold Schwanegger em " True Lies " ( 1994) com a  Jamie Lee Curtis, essa sim uma dançarina, arrastaram o pé com o hit de Carlos Gardel.

Para mim, no quesito apresentação sexy, é 10 para Antonio Banderas e Katya Virshilas em " Vem Dançar" (2006), ao som de " Así se baila el tango". Por isso, são eles que estão no trailer que abre esta matéria. Banderas interpreta um professor de dança que consegue mudar a vida de alunos sem perspectivas. A história é baseada em fatos.

Outro que fez sucesso foi" Dança Comigo ?" (2004), com Richard Gere e Jennifer Lopez, remake de um filme japonês, de 1996. Prefiro o oriental, mas a cena do tango "Santa Maria", do ótimo grupo Gotan Project,  na versão americana é uma beleza (veja o gif) !!

Recadinho da colunista:

Influenciada pelo clima reinante no país e no mundo, a coluna andou muito sombria nas últimas edições. Faço a mea culpa  e esta semana vamos aliviar um pouco. Afinal, rir, dançar, cantar, beijar (e até fumar ?!!!) ... é o melhor remédio!

------------------------------------------------

Fora de Série

MOZART IN THE JUNGLE ( 3 temporadas – Now/Net)


 

Sexo, drogas e ... rock and roll ?? Errou. Em "Mozart in the Jungle" é sexo, drogas e...música clássica.  O título pode ser traduzido para "Mozart na selva". E essa selva seria Nova York, onde a Orquestra Filarmônica está sediada, ou a própria orquestra ?  Tudo começa quando um jovem latino chega para substituir o velho maestro na coordenação do grupo. Sai o veterano Thomas ( Malcom McDowell, o rebelde de "Laranja Mecânica") e entra Rodrigo, o guapo Gael Garcia Bernal, mexicano de maior sucesso em terras hollywoodianas.

A série é baseada no livro de memórias Mozart in the Jungle: Sex, Drugs, and Classical Music, escrito por Blair Tindall, uma oboísta que além de tocar na Filarmônica fazia bicos em outras orquestras e até na Broadway. Afinal, o emprego pode ser glamoroso, mas é muito caro sobreviver em Nova York.

Como todo maestro que se preze, Rodrigo é egocêntrico, angustiado e perfeccionista. O personagem seria baseado no maestro venezuelano, Gustavo Dudamel,  com seu perfil de popstar. Não apenas na música popular é insuficiente ter bela voz, ser instrumentista talentoso etc...  O " deus mercado" exige que também na música erudita haja um espetáculo para "sacudir a galera" ! É onde se encaixa Rodrigo que, além de competente, usa trancinha no cabelo, é  bonito, pop e carismático.

A série vai mostrando não só a adaptação de Rodrigo à orquestra e à cidade, mas todos os personagens paralelos. Vamos conhecendo quem é amante de quem, quem é capaz de puxar o tapete alheio para ter lugar no grupo, até quem melhora a renda vendendo "estimulantes" para os colegas. Há jovens e veteranos, mulheres bonitas, homens carentes.  O novo maestro escolhe Haley, uma oboísta iniciante, para ser sua assistente.  Conversa vai, conversa vem, Rodrigo se cura da paixão obsessiva pela ex-mulher, uma diva, e ... ops, spoiler ! É Haley quem representa Blair, a autora da história, que conheceu tudo isso por dentro.

A série dividiu opiniões. Há quem ache que só funciona para conhecedores  do way of lifenovaiorquino . Também os músicos eruditos  rechaçaram a ideia de um ambiente tão "promíscuo" na profissão..Mas mesmo sem ter uma audiência estrondosa "Mozart in the Jungle" ganhou o Globo de Ouro como melhor série de comédia ou musical e de melhor ator para Gael Garcia Bernal. No mais, é o que sempre digo, sem assistir você não terá certeza se vai gostar, então dê uma chance à selva de Mozart e descubra.

------------------------------------------------

O LIVRO QUE VIROU FILME

FRANKENSTEIN ( Mary Shelley – 1818)

 

A inglesa Mary Shelley começou a escrever aquele que seria seu livro mais famoso aos 19 anos. Lá se vão quase 200 anos e "Frankenstein" continua vivo ( sem trocadilho). Muito mais que uma história de terror gótico, a obra toca em temas profundos como vida e morte, ambição desmedida, os limites da ciência, rejeição, desamor e muito mais.

Há quem pense que Frankenstein é a criatura, mas esse é o sobrenome de Victor, que cria o ser a quem denomina apenas de "monstro". Feito de partes de cadáveres de condenados e o cérebro de um brilhante cientista, a criatura tem uma aparência assustadora.  O Dr.Frankenstein queria ser Deus e conseguiu vencer a morte, mas o resultado foi aterrador. O livro traz um subtítulo bem revelador: "O Prometeu Moderno", referindo-se a um titã da mitologia grega. Ele rouba do poderoso Zeus o fogo necessário para dar a vida. Prometeu recebe como castigo eterno ter seu fígado comido todos os dias por um abutre. É uma grande metáfora para o tormento do cientista que vai se tornando ele, sim, um monstro. Egoísmo, arrependimento, isolamento e medo diante da criatura que só queria ser amada, mas ao notar essa impossibilidade se revolta contra o criador. Dr. Victor Frankenstein e sua criatura são opostos e, ao mesmo tempo, iguais. Não por acaso, vamos alternando sentimentos em relação aos dois ao longo da história. Ao escrever "Frankenstein" a jovem Mary Shelley acabou criando algo também excepcional: os fundamentos do que conhecemos hoje como ficção científica.

O(S) FILMES(S)

O livro de Mary Shelley gerou mais de 20 filmes. O primeiro foi em 1910, mas o mais famoso talvez seja o de 1931, com Boris Karloff vivendo o monstro. Até o prestigiado Robert De Niro interpretou a criatura em "Frankenstein de Mary Shelley"(1994).Particularmente, não gosto dessa versão, até porque continuei vendo o ator atrás do personagem. O mais recente é de 2015 e traz Daniell Radcliff ( o eterno Harry Potter) e James McAvoy, um dos queridinhos de Hollywood atualmente.

Mas, mas, mas...pedindo licença respeitosamente a Mary Shelley destaco a sátira de Mel Brooks "O Jovem Frankenstein" (1974). Preciso homenagear esse que foi um dos filmes que mais me fez rir na vida. Sabem aquelas gargalhadas de doer a musculatura da barriga?? Era cada cena mais hilariante que a outra. E o elenco? Ah, o elenco... A começar por Gene Wilder que faz o Dr.Victor Frankenstein. Foi ele quem sugeriu a história a Mel Brooks. Ao lado dele, Madeline Khan, fazendo a noiva de Victor; Peter Boyle, a criatura; Cloris Leachman, a terrível Frau Blucher, cuja pronúncia do nome já fazia os cavalos relincharam e o impagável Marty Feldman, com seus olhos esbugallhados, na pele de Igor, o fiel criado do castelo, cuja corcunda muda de lado a cada cena !! Quando o Dr. Frankestein diz que pode ajudá-lo a se livrar da corcunda: Igor pergunta " que corcunda"??!!

O diretor Mel Brookes fez outros filmes muito engraçados como "Banzé no Oeste", "Alta Ansiedade"e "A História do Mundo", mas "O Jovem Frankenstein" é insuperável. Ah, falei que é filmado em preto e branco? Pois não é que a fotografia em P&B só deixou o filme mais legal ainda ?!!

------------------------------------------------

É COISA NOSSA

Escuto muitas queixas sobre o preço dos ingressos de cinema. Concordo que são tão salgados quanto a pipoca que alguns insistem em roer durante a sessão !! Mas, ninguém pode dizer que não vê filmes porque não tem dinheiro.  Na Grande Florianópolis é possível fazer isso de graça. Basta ficar atento à programação e escolher o que mais interessa. Aqui, algumas dicas para quem quer bom cinema sem meter a mão no bolso.

Para crianças: sempre divulgamos a programação do Cineclube Mostra Infantil que acontece no CIC-Centro Integrado de Cultura, aos sábados, 16 horas. Leia em Pipoca News qual é o próximo e leve seus cinéfilhinhos.

Para terceira idade ( e acompanhantes): Sessão Senior de Cinema que acontece na UFSC ou no Floripa Shopping. Acompanhe a programação no  http://sessaoseniordecinema.com.br

Projeto​ ​"Sessões​ ​Animadas​": no Cinesystem Iguatemi com sessões abertas ao público em geral e outras para alunos da rede pública municipal de ensino de 06 a 15 anos. Inscrição através do https://www.facebook.com/sessoesanimadas/

Aliança Francesa Florianópolis: a AF costuma programar mostras de cinema francês. Agora mesmo há uma mostra em andamento até o dia 24/11. http://affloripa.com.br/mostraaf/

Cineclube da Fundação Cultural Badesc – sempre há mostras interessantes, como as recentes de Federico  Fellini  - ainda em cartaz - e a do atual cinema espanhol, seguidos de debates sobre Cinema –www.fundacaoculturalbadesc.com

Cine Paredão – filmes exibidos ao ar livre, sob a luz da lua...como no bosque do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC , campus de Florianópolis ( se chove é transferido para um local fechado) – Costuma acontecer às sextas-feiras. Mais infos: https://www.facebook.com/cineparedao/

------------------------------------------------

PIPOCA NEWS

Cineclube da Mostra de Cinema Infantil – sessão gratuita - sábado

25 de Novembro – 16h – CIC-Centro Integrado de Cultura -Florianópolis

"Tainá 3 - A Origem",  De Rosane Svartman ( Ficção, BR, 2011, 100min, 35mm)

Piratas da biodiversidade invadem a área da floresta amazônica onde vive Maya, jovem índia que é vítima do ataque predatório, deixando órfã a bebê Tainá. Abrigada entre as raízes da Grande Árvore (Sapopemba), a criança é salva e criada pelo velho e solitário pajé Tigê. Cinco anos depois, ele leva Tainá à aldeia do seu povo, onde está para ser escolhido o novo líder defensor da natureza. Por ser menina, Tainá é impedida de se apresentar ao combate, mas pela herança de Maya, a última das Amazonas guerreiras, e com o apoio de Laurinha, esperta menina da cidade, e do índio high tech Gobi, a indiazinha parte para derrotar os malfeitores, desvendando o mistério de sua própria origem."

------------------------------------------------

BEIJO DE CINEMA

Bem, nesta edição o assunto não é o beijo propriamente dito, mas  sim como o ato de fumar era glamourizado nos filmes dos anos 40, 50 .Toda diva digna desse nome tinha cenas onde dava baforadas na cara do galã ! Não era considerada falta de educação. Ninguém falava que beijar um fumante era como "beijar um cinzeiro", ao contrário, era visto como charme.

Muitos jovens começaram a fumar por influência do Cinema ( olha eu aqui, levantando o dedo) ! Hoje é impensável  ver Angelina Jolie na tela jogando fumaça na cara do Brad Pitt ou Julia Roberts baforando no Richard Gere... Mas, acredite, o espectador suspirava encantado com as musas fumegantes, enquanto a indústria do cigarro via sua receita milionária aumentar mais e mais.


Rita Hayworth


Lauren Bacall bafora em Humphrey Bogart


Marlene Dietrich em Cary Grant


Joan Crawford  no pobre violinista

------------------------------------------------

HASTA LA VISTA, BABY !

Os irmãos Marx fizeram enorme sucesso na comédia na era de ouro de Hollywood. Groucho era o líder do grupo formado por Chico, Harpo e Zeppo Marx, nova-iorquinos, filhos de imigrantes judeus. Com seus inconfundíveis óculos, charuto , bigodes e sobrancelhas pintadas, Groucho era o mais marcante. Pelo humor ácido, considerado malicioso para a época, e a rapidez de suas tiradas ficava difícil distinguir o personagem  do ator/autor. Aqui, apenas algumas de suas frases mais famosas...

"Eu não frequento clubes que me aceitem como sócio."

"Atrás de todo homem bem-sucedido, existe uma mulher. E, atrás desta, existe a mulher dele."

"Nunca me esqueço de um rosto, mas, no seu caso, vou abrir uma exceção."

"Para mim, a televisão é muito instrutiva. Quando alguém a liga, corro à estante e pego um bom livro."

"Estes são meus princípios. Se você não gosta deles, tenho outros!"

------------------------------------------------

Mens@gem para Você

De : Dedé Ribeiro ( sobre a edição anterior)

Genial esse assunto e também amei os casos escandalosos do passado. Tudo igual, né? Aproveito o tema para indicar a série SCANDAL, criada pela Shonda Rhimes - a mesma do Grey´s Anatomy. É uma agencia que resolve casos de escândalos envolvendo políticos, cuja dona, ironicamente, tem um caso com o presidente da república.

Dedé, "Scandal" tem tudo a ver com o tema, mas confesso que não sou fã das séries da badaladíssima Shonda Rhimes, mesmo reconhecendo que são sinônimo de sucesso como " Greys Anatomy" ( e seus spin off) e  "How to Get Away With Murder !

------------------------------------------------

Sobre a colunista:

Brígida De Poli é jornalista. Cinéfila desde criancinha, converteu-se à mania das séries depois de assistir a "Os Sopranos". Não se considera crítica de Cinema, apenas alguém que gosta de compartilhar ideias sobre a sétima arte.

Contato: cineseries@portalmakingof.com.br



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email