Cine&Séries

É de pequenininho que se forma o 'cinéfilhinho'!




Esta edição especial da Semana da Criança é um incentivo aos papais, dindos e dindas, tios, avós ... para apresentarem  o encanto do Cinema aos seus pequenos. Fico surpresa quando descubro crianças já grandes , de famílias com poder aquisitivo, que nunca pisaram numa sala de exibição. E não são raros os casos! Comecei a gostar de cinema bem pequenininha, levada pelo meu pai querido (que dormia metade do filme !).  Bem, como a coluna fala muito de séries de TV há dicas também para curtir uma boa história em casa. O importante mesmo é fazer um programa agradável com os filhotes que serão os cinéfilos de amanhã . Eu aposto: eles jamais esquecerão desses momentos!

FORA DE SÉRIE

Não pode levar as crianças ao Cinema ? Tudo bem, há boas alternativas para comemorar o dia delas em casa mesmo. Vamos destacar uma série e um trio de filmes sobre um dos personagens de animação que eu mais gosto.

Desventuras em série ( 2016 - disponível na Netflix)

Bem, essa não é uma série cute,cute...só de coisas bonitas e graciosas. A história, baseada nos livros de Lemony Snicket, é um pouco sombria. Tem suspense e comédia também. É mais indicada para crianças maiores .  A trama : Violet, Klaus e Sunny são três jovens que ficam órfãos e são obrigados a morar com um parente distante, o Conde Olaf. Tudo que ele quer é se apossar da herança dos garotos. O trio acaba circulando de casa em casa, onde conhecem figuras inusitadas.  Olaf  usa todo tipo de disfarce para persegui-los, mas não engana os espertos órfãos.

Meu Malvado Favorito (1,2,3)

Quem não gosta de "Meu Malvado Favorito", bem humorado não é ! Que tal uma maratona das histórias do " malvado" e os divertidos Minions? O 1 e o 2 estão liberados no Net/Now. O 3 está disponível na parte paga do Now ( R$11,90), pois é lançamento. Mas como é Dia das Crianças, dá pra "abrir a mão", né? Elas merecem.





------------------------------------------------

O LIVRO QUE VIROU FILME

A Fantástica Fábrica de Chocolate ( 1964)

O autor do conto é Roald Dahl, nascido no País de Gales em 1916. Filho de pais noruegueses, passou a infância na Inglaterra e se mudou para a África aos 18 anos. Foi também piloto da Real Força Aérea da Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial. Só começou a escrever quando se tornou adido da embaixada inglesa em Washington. Ele morreu em 1990, aos 60 anos. Hoje, seus livros para adultos e crianças são traduzidos  em 32 idiomas.

A história : Charlie Bucket é um menino pobre que vive com os pais e os avós. Ele adora chocolate e perto da casa dele há uma fábrica dessa delícia. O Sr. Willy Wonka , o dono da Fantástica Fábrica de Chocolate, resolve abrir as portas para cinco crianças através do sorteio de Cupons Dourados. E Charlie está na disputa de todas aquelas guloseimas ! Um sonho para o menino.

 "A Fantástica Fábrica de Chocolate" virou filme duas vezes: em 1971 e em 2005. A primeira versão tem Gene Wilder como Willy Wonka. O filme foi indicado ao Oscar de Melhor Trilha Sonora. Resultou em grande fracasso de bilheteria, mas nos anos 80 tornou-se super popular no home-vídeo . Até hoje é reprisado ad infinitum nas tardes da TV brasileira. A segunda  versão traz uma dupla inseparável: Johnny Depp como Wonka e Tim Burton na direção.  O resultado foi muito bom. Escolha a versão que mais lhe agrada ou faça um mutirão e veja as duas com os cinéfilhinhos.

  

------------------------------------------------

FAN PAGE

Para provar que "é de pequenininhas que se formam as cinéfilhinhas", os depoimentos desta semana são das irmãs Luisa, 8 anos e Olívia, 6 anos. Elas aprenderam com os pais Ana e Ricardo, jornalistas , a gostar de filmes e séries. Luisa, especialmente, adora ir ao cinema com a mãe. As meninas sabem exatamente do que gostam e aqui dão dicas para ajudar os pais que leem a coluna a fazer um programa com suas crianças.

"Eu amo Trolls porque eles são muito engraçados, dançam e cantam músicas legais . Mesmo perseguidos, os duendes de cabelo colorido sempre acham que vai dar tudo certo e se unem para salvar os amigos. Eles são capturados pelos Bergens, monstros que acham que para se feliz precisa engolir um Troll. Eu não acho que a felicidade é uma coisa de comer, eu acho que a felicidade ela já mora dentro da gente. Só precisa de alguém para ajudar a achar.

Também gosto de um desenho do tempo da minha mãe, Tom e Jerry

Me divirto porque o Tom sempre se dá mal. Gosto mais ainda do Pets, que é sobre animais de estimação e o que eles fazem quando a gente sai de casa. Só de assistir ao trailer a nossa família já dava muita risada!

Moana já assisti muitas vezes. Ela é bem corajosa e não precisa de príncipe. Quer salvar o povo dela pegando um barco e passando além dos Recifes pra conseguir mais peixes e cocos. O Maui (um semi-deus que não que ajudar Moana), todo convencido, é muito engraçado também! eu e minha irmã amamos as músicas, bem lindas".

Olívia Miliotti C. von Hohendorff

------------------------------------------------

"O primeiro filme da minha vida foi Monstros S/A. Vi pequenininha e ainda gosto muito! Em Monstrópolis o trabalho dos monstros é assustar crianças, só que eles tem medo das pessoas. Aí uma  menina chamada Boo vai mudar isso. Achei a história tão divertida que meu pai inventou uma brincadeira e uma música com os personagens do filme.

A Bela e a Fera é lindo porque ela é bem diferente das outras princesas. A Bela é muito inteligente, adora ler e queria se mudar para uma cidade maior. Nem quer namorar com o Gaston, que é fortão mas não gosta de livros. Ela tem coragem de salvar o pai e a Fera, que parece monstro, só que é principe. Amo a trilha, até aprendi a tocar no piano,

No Netflix adorei  Spirit: Cavalgando Livre. É uma serie sobre três amigas e seus cavalos, que são livres, não são domesticados. Elas enfrentam até neve e correm perigo de congelar para salvar os cavalos.

No cinema a gente acabou de assistir a Lino (Brasil, 2017). Ele é um recreador de festa infantil que usa fantasia de gato,mas ninguém gosta dele. Um dia o Lino procura um mago pra saber o que fazer e a vida dele muda. É engraçado e bonito, gostei de adotarem uma criança". 

Luísa Miliotti C. von Hohendorff

------------------------------------------------

PIPOCA NEWS

Boa oportunidade para levar as crianças ao Cinema. E de graça !

Cineclube Mostra de Cinema Infantil programou quatro curtas catarinenses para sábado, 14/10, às 16 horas, no CIC- Centro Integrado de Cultura – Florianópolis.

O Mistério do Boi de Mamão de Luiza Lins. Ficção, SC, 2005, 13 min.

Sinopse: A história é uma aventura envolvendo um grupo de crianças, futebol, o boi de mamão da Lagoa da Conceição, que faz parte do folclore regional.

Campeonato de Pescaria de Luiza Lins e Marco Martins, SC, 2009, 13 min.

Sinopse: uma aventura no litoral catarinense. A comunidade organiza um campeonato durante as férias para as crianças se divertirem, resgatando a emoção da pesca para os pequenos.

O Sumiço da Coroa de  Marco Martins e Chico Faganello, SC, 2013, 13 min.

Sinopse: A Coroa, o principal símbolo da festa do Divino Espírito Santo, desaparece da Igreja da Lagoa da Conceição, em Florianópolis. E agora? Clara e Pedro começam a investigação para tentar recuperá-la, senão a festa pode não acontecer. Mistura de realidade com ficção, o filme une cultura brasileira e aventura.

Taí ó – Uma aventura na Lagoa de Maurício Venturi, SC, 2014, 14 min.

Sinopse: Esta é a história de João, um garoto que foge de casa e decide ir atrás de sua avó, conhecida como bruxa na Costa da Lagoa, onde só se chega de barco. No caminho, ele conhece Zé, um menino nativo que será seu parceiro e guia nesse desafio. Os dois iniciam uma amizade e uma aventura repleta de descobrimentos pela Lagoa da Conceição, reduto das lendas da Ilha de Santa Catarina.

------------------------------------------------

É COISA NOSSA

Filmes gratuitos para crianças também na Serra Catarinense

Outra ideia bacana: o contêiner do Projeto Circuito Cultural estará em Celso Ramos (18 e 19/10), Campos Novos (20 e 23/10), Abdon Batista ( 24 e 25/10) e Anita Garibaldi ( 26 e 27/10). Além da biblioteca, oficinas e apresentações artísticas, o Centro de Cultura Móvel incluiu a exibição de quatro curtas infantis no contêiner que mede 12 metros. Todos de produção nacional.

Mostra de Cinema Infantil

Garoto Barba - (Christopher Faust, 14 min.) – Fábula sobre uma criança que, devido a uma rara doença, tem barba. Felipe gosta de ser como é, mas se sente deslocado porque as outras pessoas costumam olhar para ele de forma diferente.

Lápis Cor de Pele – (Anderson Lima, 5min.) – Isadora precisava de um lápis cor de pele, Luisa foi buscar e na volta, conversam sobre o que é cor e o que é pele.

Mãos de Ventos e Olhos de Dentro – (Susanna Lira, 13min.) – A amizade entre Lia, uma menina cega e Tico, um menino solitário e cheio de imaginação. Os dois brincam de "ver" desenhos em nuvens e embarcam numa viagem de aventura com muita diversão e alegria pelo universo da fantasia infantil.

Menina Bonita do Laço de Fita – (Diego Lopes e Claudio Bitencourt, 7min.) – O filme aborda o aspecto racial e o não preconceito, por meio da convivência harmoniosa entre indivíduos de raças e cores diferentes. Para isso, conta a história de um coelho que, apaixonado pela cor negra de sua vizinha, faz tudo para ficar igual a ela. Depois de várias tentativas frustradas, acaba encontrando a felicidade ao se casar com uma coelha preta e ter filhos brancos, pretos e malhados.

Obs.: O projeto Circuito Cultural – edição Serrana - conta com o patrocínio Enercan - Campos Novos Energia S.A e apoio de Mostra Cinema Infantil de Florianópolis. A realização é do Instituto Maratona Cultural e Ministério da Cultura, com organização de Heitor Lins.

------------------------------------------------

BEIJO DE CINEMA

Encantador, adorável, fofo...são alguns adjetivos que podem ser usados para definir o beijo da semana. O filme"Meu primeiro Amor" (My Girl) é de 1991, mas como vive passando na sessão da tarde, é como se Macaulay Culkin e Anna Chlumsky ainda tivessem 10 anos de idade. Mas, o tempo passou rápido e o ex astro  de "Esqueceram de Mim"está com 36 anos. Como sabemos, a mega fama de Macaulay não fez dele um adulto feliz. Teve problemas sérios com drogas, briga feia com os pais, depôs no julgamento de Michael Jackson por suspeita de ter sofrido abuso, se mudou para Paris para fugir dos paparazzi. Há poucos anos apareceu com melhor aparência, mas em 2016 chegou a anunciar a aposentadoria. Já Anna hoje faz parte do elenco de uma das séries de maior sucesso nos EUA e que pode ser vista no Brasil pela HBO, "Veep , onde ela faz a assessora da vice-presidente interpretada por Julia Louis-Dreyfus, super premiada.

Em "Meu Primeiro Amor", Anna interpreta Vada, uma garota obcecada pela morte, cuja mãe morreu no parto; Culkin é Thomas, o melhor amigo dela, um menino tímido e alérgico a tudo. No final, para tristeza de Vada, ele morre picado por abelhas. Sobre o beijo, Macaulay conta que foram 15 takes e que eles queriam que a cena acabasse logo. A gravação pode ter sido incômoda para os dois pequenos, mas o resultado foi uma beleza de beijo, vocês não acham?

------------------------------------------------

HASTA LA VISTA, BABY !

As melhores frases do Cinema

Esta semana não escolhemos uma, mas cinco frases do clássico "O Mágico de Oz", todas falando daquilo que é a maior metáfora do amor : o coração .A história foi adaptada para o cinema nada menos que 11 vezes! A versão musical de 1978 teve Michael Jackson e Diana Ross no elenco. A última foi em 2013, com James Franco interpretando Oz. Mas a mais famosa ainda é a de 1939, com Judy Garland no papel de Dorothy.  A história: depois que um ciclone passa pela fazenda onde mora com os tios, a menina vai parar no mundo de Oz, juntamente com seu cachorro Totó. Nesse lugar misterioso ela faz amizade com o Homem de Lata, que quer ter um coração, o Espantalho que anseia por um cérebro e o Leão covarde que necessita de coragem.

"Mas já tive cérebro e um coração também. E tendo experimentado os dois, prefiro o coração." –(Homem de Lata).

"Que um coração não se julga por quanto você ama, mas por quanto você é amado pelos outros" (Homem de Lata)

"Corações só serão práticos quando não puderem ser partidos." (Mágico de Oz)

"Agora sei que tenho um coração porque ele está quebrado".(Homem de Lata)

" Se eu não tivesse um coração, eu não seria um covarde" (Leão)

------------------------------------------------

Mens@agem para você

De : Jaime Gargioni·

A coluna está cada vez melhor. Parabéns Brigida pelo conhecimento partilhado.

Obrigada, Jaime. Eu também acabo aprendendo muito.


***

De: Margarida Santi

Na era da superficialidade, ler análises tão profundas é alentador. Obrigada, Brígida !

Fico feliz em saber que tenho leitores com esse olhar e essa preferência, Margarida. Obrigada.


***
De: Lara Razig

A cada terça-feira que passa, já fico esperando ansiosamente pela próxima. As sugestões estão cada vez melhores e com muita diversificação. Com o aumento do número de possibilidades de se assistir uma série ou um filme,veio a dificuldade de acompanhar a todos. Alguma sugestão para resolver este "problema"?

"Problema" bem bom esse, né, Lara? ...rsrs...Olha, em relação às séries que tal tentar agendar e seguir duas ou três na semana. Um dia fixo para  cada uma.  Eu, particularmente, adoro fazer mutirões, aquelas maratonas de ver 5, 6, 10 capítulos consecutivos. No mais, tenho inveja de quem ainda não viu "Os Sopranos", por exemplo, porque ainda terá o prazer de ver!!  Ajudei ?


***

De : Juliana Bergmann 

Estou curiosa para saber se já assistiu a série "The good place". No início fiquei com medo que descambasse para o besteirol, mas tem um humor incrível. Infelizmente li o spoiler dela sem querer, mas fiquei com impressão de que vai ser melhor do que esperava. 
Outra série que espero assistir logo é Juana Inês, mas só ouvi falar. Adoro ensina-me a viver! Obrigada pela coluna! Beijos!
 
Oi, Juliana, ainda não vi "The Good Place", mas está na lista de espera. É bem assim,  às vezes a gente tem uma impressão errada da série logo no início, mas se insiste vê que é interessante. Me aconteceu com "River" (Netflix). Quando começou achei que era uma coisa meio " I see dead people", mas depois vi que era bem além disso e adorei.

------------------------------------------------

Sobre a colunista:

Brígida De Poli é jornalista. Cinéfila desde criancinha, converteu-se à mania das séries depois de assistir a "Os Sopranos". Não se considera crítica de Cinema, apenas alguém que gosta de compartilhar ideias sobre a sétima arte.



Receba Novidades da
Making Of por email! Cadastrar email